29 dezembro, 2005

Educar para o consumo

As renas, vindas talvez lá do Norte da Europa, da fria Lapónia, já deviam ter chegado, carregadinhas de prendas, pois claro, e lembrando a necessidade da educação para o consumo, assunto que o "Público" escolheu como tema para o "Concurso Nacional de Jornais Escolares para 2005-2006".
O "Preto no Branco" participará nesse certame, esperando a colaboração de toda a comunidade escolar.
Bom Ano Novo para todos.

8 comentários:

Ana Guimarães disse...

Aqui está um tema muito actual. Leram aquelas notícias relacionadas com os milhões de mensagens enviadas por telemóvel no natal? É isto um sinal de consumismo?

Osório disse...

Os portugueses gastaram quase 16 milhões de euros a enviar mensagens escritas (SMS) por telemóvel entre os dias 22 e 25 de Dezembro. Neste período, as três operadoras móveis processaram (enviaram ou receberam) 318,5 milhões de SMS.
Partindo do princípio que, do total, metade diz respeito a SMS enviados e metade a recebidos e que cada mensagem custa, em média, 10 cêntimos, conclui-se que as boas festas via SMS custaram quase 16 milhões. (JN) http://jn.sapo.pt/2005/12/27/economia/sms_rendem_milhoes.html

Ana Guimarães disse...

Os telemóveis são, actualmente, o brinquedo preferido dos portugueses. Graças a eles passámos a entrar pela vida adentro da pessoa ao nosso lado, seja na rua, no autocarro ou numa loja, ficamos a saber detalhes perfeitamente entediantes ou verdadeiramente escabrosos, entre explicações sussurradas ou gritos.

espl disse...

O telemóvel é reduzido no tamanho mas as possibilidades são inúmeras, desde as diversas formas comunicar - as mais óbvias - à máquina fotográfica - a mais popular - o pequeno aparelho tornou-se num gigante que a todos enfeitiça deixando as operadoras e as diversas marcas bastante felizes.

Ana Guimarães disse...

É impressionante a "necessidade" que as pessoas têm de comunicação , ou que julgam que têm , é quase um dever. As minhas alunas de 10-12 anos saem de uma aula e religiosamente telecomunicam com as mães a contar o que se passou. Critico-as por não deixarem as senhoras descansadas,mas talvez seja uma imposição das mães.

Manuel disse...

Por falar em telemóveis: esses milhões de mensagens aproximaram realmente as pessoas? Deram um contributo para a criação de um melhor ambiente social? Ou foi mais uma exibição de gestos mecânicos, sem inspiração, copiados a granel, que traduzem apenas a inépcia de muitos em criar as suas próprias mensagens, porque, de facto, já nada de pessoal e de criador têm dentro de si? Fica a reflexão.

espl disse...

A imprensa, em especial a televisão, publicita diariamente alimentos excessivamente calóricos, que contribuem para a obesidade de crianças e jovens.

Este tipo de publicidade:

Deve ser limitada ou proibida nos espaços televisivos destinados a crianças e jovens?

Ou

Deve ser permitida, mas os destinatários devem ser advertidos sobre os malefícios de tais produtos?

Anónimo disse...

Parece-me que os destinatários é que devem ser advertidos sobre os malefícios de tais produtos